segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Abobrinha Cremosa do Wes | Segunda Sem Carne

Desde quando vi o Wesley do blog Receitas que Amo fazendo essa abobrinha nos seus stories do Instagram, "encasquetei" que tinha que fazer também. Ele falava dessa abobrinha com tanto entusiasmo, e seu preparo era tão simples que fiquei morrendo de vontade. Pois então fiz, fiz de novo, e de novo, e agora estou compartilhando com vocês essa receita de acompanhamento que vai bem tanto com um arroz fresquinho, quanto pode ser um recheio de torta.
Obrigada Wes pela inspiração! Você diz que não é uma comida bonita, mas claro que é! Só de ver já quero de novo! O simples é delicioso!
Abobrinha Cremosa do Wes | Segunda Sem Carne 
receita retirada daqui


Ingredientes

  • 1 abobrinha italiana grande picada (ou ralada)
  • 1 cenoura média ralada
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picado
  • 2 colheres (sopa) de requeijão
  • 2 colheres (sopa) de parmesão ralado
  • 2 colheres (sopa) de azeite ou óleo de girassol
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino a gosto
  • páprica doce ou defumada (opcional)
  • cheiro-verde picado (opcional)


Modo de Preparo

Aqueça o óleo ou azeite em uma panela e refogue a cebola e o alho até que fiquem transparentes e soltem seu perfume.
Nesse momento eu adicionei um pouco de páprica doce também, mas você pode colocar os temperos que preferir.
Em seguida junte a abobrinha, a cenoura e mexa até que a abobrinha fique levemente transparente, mas ainda al dente (cerca de 5 a 10 minutos). Não será preciso adicionar água pois a abobrinha solta bastante, mas não esqueça de mexer bem para que ela cozinhe por igual. 


Tempere com sal e pimenta (coloque pouco, pois ainda adicionaremos o parmesão e ele é bem salgado).  Por fim, junte o requeijão, o parmesão e o cheiro-verde (opcional), misture e sirva.


Fica delicioso para acompanhar o arroz e feijão de cada dia, como recheio de tortas e pastéis (pra isso também adicionaria um pouco de azeitonas e milho), e onde mais você gostar! Um coringão de acompanhamento!

Bom apetite!

E não se esqueça, se fizer alguma de nossas receitas aqui do blog, nos marque no instagram com a hashtag #brisandonacozinha e nos marque também (@brisandonacozinha) para que possamos compartilhar sua foto! :)

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Banana Bread (Bolo de Banana com gotas de chocolate) da Raíza Costa

Banana bread é um clássico americano, que tem nome de pão, mas na verdade é um bolo com as bananas misturadas à massa. Essa receita (do livro Confeitaria Escalafobética da maravilhosa Raíza Costa) ainda leva pedacinhos de chocolate, tem um sabor e textura incrível e o melhor, você pode (deve) usar aquelas bananas que já estão meio passadinhas e ninguém quer comer!


Banana Bread com gotas de chocolate (Bolo de Banana)
Receita retirada daqui

Ingredientes
  • 100g manteiga
  • 200g açúcar
  • 2 ovos
  • 15ml extrato de baunilha
  • 3 bananas médias beeeeem maduras (1 e 1/2 xícara chá)
  • 35g Iogurte natural
  • 300g farinha
  • 5g bicarbonato de sódio (meia colher de sopa)
  • 200g chocolate ao leite
Espuma de café
  • 100 ml água quente
  • 35 g café solúvel
  • 200 g açúcar
  • 10 g cacau em pó
Modo de Preparo
Preaqueça seu forno em 180º. Numa tigela adicione a manteiga (temperatura ambiente) e o açúcar e bata até o creme ficar fofo. Eu fiz esse processo na batedeira, mas você também pode usar um fouet.  Adicione os ovos um por vez e bata até incorporar. Reserve.
Em um prato amasse as bananas - bem maduras - com um garfo e meça 1 xícara e meia (chá). Adicione ao creme de manteiga. 
É importante medir as bananas amassadas pois cada banana tem um tamanho.
Adicione no creme o Iogurte , o extrato de baunilha e mexa para incorporar.
Em outra vasilha misture a farinha com o bicarbonato de sódio e adicione ao creme de manteiga. Mexa só até incorporar.
Pique o chocolate em pedaços de aproximadamente 0,5 centímetro e adicione à massa. Misture delicadamente sem mexer demais para não desenvolver muito glúten da farinha e deixar o bolo pesado.

Despeje a massa em uma forma de furo no meio untada com manteiga e farinha. Eu distribui em diferentes formas, pois não tinha uma grande o suficiente. Usei as de silicone e rendeu tudo isso: uma no tamanho de bolo inglês, 4 em forminhas de cupcake pequenos e mais 6 em uma forma de cupcake tamanho normal. 
Asse por aproximadamente 45 minutos ou até o topo ficar dourado e o palito saia limpo ao ser colocado no bolo.

Deixe esfriar por 10 minutos e desenforme. 
Sirva como preferir. Quentinho é uma delícia!






Se fizer uma de nossas receitas, poste nas redes sociais e marque o @brisandonacozinha para que possamos ver e compartilhar! Use também a #brisandonacozinha :)

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Copinhos de Cookies com Brigadeiro e Sorvete (ou o que você quiser!)



COPINHOS DE COOKIES COM BRIGADEIRO E SORVETE

Ingredientes
  • 150 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente 
  • 2/3 de xícara de açúcar mascavo  (120g)
  • 1/3 de xícara de açúcar cristal (80g)
  • 1 ovo 
  • 2 gemas 
  • 1 tampinha de essência de baunilha 
  • 1/2 colher (chá) de sal 
  • 2 e 3/4 xícaras de farinha de trigo (415g)
  • 2/3 de xícara de chocolate picado em cubinhos (usei ao leite) - 120g
para finalizar:
sorvete da sua preferência
brigadeiro
(na verdade, você pode rechear com o que quiser: Nutella, doce de leite, mousse de chocolate, leite frio, etc)

Modo de Preparo
Se quiser conferir o passo a passo pelos Stories no Instagram, clique aqui!

Misture a manteiga com os açúcares até obter um creme. Em seguida, acrescente o ovo e as gemas e mexa bem.

Coloque a essência de baunilha e o sal.
Junte a farinha e amasse com as mãos até obter uma massa homogênea. DICA: amasse apenas até.a farinha se misturar aos ingredientes - se você amassar demais, a massa vai ficar macia e não crocante. Coloque o chocolate, misture bem, porém não por muito tempo para que o chocolate não derreta.

Depois molde a massa em forminhas de Petit gateau, cortando as bordas com uma faca. Depois, leve ao congelador por pelo - 2 horas para que a massa fique congelada.

Preaqueça o forno a 220˚C e coloque uma folha de papel manteiga em formato retangular dentro do copinho. Amasse uma bolinha de papel alumínio e coloque dentro, para evitar que as bordas do cookie percam o formato.

Asse por 15 minutos. Após esse tempo, retire do forno e solte os cookies das forminhas (se soltam facilmente) e deixe esfriar em uma grade.


Para rechear, fiz um brigadeiro comum de microondas


segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Esfirras (esfihas) fechadas de carne com coalhada

Há tempos estava procurando uma receita de esfirras para chamar de minha! Muitas das receitas da massa que encontro na internet leva muitos ingredientes na massa (inclusive essa que está aqui no blog, há anos, e também é uma delícia, por sinal). Sempre desconfiei que os tradicionais usassem apenas o mais básico para fazê-la, e ao testar essa receita aqui, tive certeza disso. Aliás, essa massa é praticamente a mesma da pizza (acesse clicando aqui). Alguns segredinhos são muito importantes para o sucesso das esfirras, por isso sugiro que leiam atentamente cada passo para que suas esfirras saiam tão gostosas quanto essas que fiz aqui.
Como resultado, esfirras douradinhas, massa fininha e macia, recheio ainda suculento e muito sabor! Creio eu que cheguei onde queria!
Dessa vez testei um recheio de carne com coalhada, mas com essa mesma massa também fiz um recheio cremoso de queijo, e você pode fazer o recheio que quiser. Inclusive recheios veganos, pois essa massa também é vegana, então é mais abrangente ainda.
Lembrando que com essa massa e recheio, você também pode fazer esfirras abertas!
Sem mais enrolação, confiram essa receita deliciosa, espero que gostem! Eu adorei e á quero fazer mais!
E ah, se fizer nossa receita, não deixe de postar nas redes sociais e me marcar para que eu possa ver! @brisandonacozinha 

Esfirras (esfihas) fechadas de carne com coalhada
Rendimento: 25 esfirras médias

Ingredientes
Massa
  • 300g (ou 300ml, ou 1 xícara e 1/4 - chá) de água filtrada em temperatura ambiente (se onde você mora estiver frio, dê uma leve amornada na água) 
  • 30g (ou 3 colheres de sopa) de açúcar 
  • 10g de sal (1/2 colher de sopa)
  • 500g de farinha de trigo (4 xícaras de chá + 2 colheres de sopa)
  • 10g de fermento biológico seco (1 colher de sopa) - se for usar o fermento biológico fresco, use 30g
  • 30g de óleo ou azeite (ou duas colheres de sopa)

Recheio
  • 500g de carne moída (patinho)
  • 500g de cebola picadinha
  • 500g de tomate picado (com pele, sementes)
  • suco de 1 limão
  • sal, pimenta-do-reino, temperos da sua preferência
  • pimenta síria (opcional)
  • cheiro-verde à gosto
  • azeite
  • 200g de coalhada seca (da próxima vez tentarei colocar mais)
Modo de Preparo

Comece preparando o recheio, para dar tempo necessário para que ele desidrate. Misture a carne, a cebola e o tomate (sim, os três na mesma proporção), e o suco de limão.
 Misture tudo e leve à geladeira num recipiente com tampa enquanto fazemos a massa.

Para a massa, é só misturar todos os ingredientes até formar uma bola que não grude nas mãos. Caso esteja grudando adicione mais farinha, e se estiver muito seca, um pouco mais de água. Ela deverá estar macia e fácil de trabalhar. Trabalhe-a por uns 10 minutos para ativar o glúten. Se tiver máquina de fazer pão como eu, adicione os ingredientes na ordem citada acima, e coloque no ciclo Massa (ou Amassar). Assim que parar de bater, pode desligar a máquina (não precisa aguardar a massa fermentar). Ficará apenas cerca de 20 minutos. (o ciclo total é de 1 hora e meia).
 Retire a massa do bowl e faça bolinhas do mesmo tamanho. Aqui fiz bolinhas de 35g e renderam 26 unidades. Você pode fazer em tamanho menor ou maior, de acordo com seu gosto. As esfirras nesse tamanho ficaram médias. Acomode as bolinhas em uma assadeira ou tigela e mantenha tampada com um pano úmido limpo ou um plástico. Deixe em local fechado para darem uma leve fermentada, enquanto continuaremos com o recheio.
 Passado o tempo na geladeira, retire o recheio de lá e com as mãos esprema aos poucos a carne em outra tigela para escorrer toda a água que se formou (veja na imagem). Nota-se que a carne também mudou de cor, ela dá uma leve cozida com a acidez do limão, da cebola e do tomate. Esprema tudo muito bem e despreze o líquido.
 Agora é hora de temperar! Eu quis fazer recheio de carne com coalhada, mas você pode fazer só com a carne temperadinha. Eu usei 200g de coalhada seca (receita da coalhada AQUI). Também temperei com sal, pimenta-do-reino e lemon pepper. O tempero é à gosto, eu vou experimentando até ficar no ponto que gosto. (Aliás, adoro comer esse recheio assim "cru").
Os tradicionais usam também pimenta síria, ou um mix de temperos que leva canela, cominho, pimenta, dentre outras especiarias. Como eu não tinha em casa, optei por não usar.

 Coloco também cheiro-verde à gosto, e depois de tudo misturado, verifico mais uma vez o sal e acerto se necessário.
 Recheio pronto, também faço bolinhas de 35g com ele. O bom da coalhada é que permite formatá-las com facilidade. Creio que se tiver só a carne também seja possível. 
Renderam mais que as 26 unidades da massa, então sobrou recheio. Se quiser, pode fazer cada bolinha com uns 40, 45g. Eu quis fazer na mesma proporção de massa/recheio, pois estava testando e não saberia quanto ia render. Mas tudo bem, no dia seguinte aproveitei a sobra de recheio e fiz mais esfirras. Caso não tenha balança (aliás, é uma ótima aquisição na cozinha, viu?), apenas faça as bolinhas no mesmo tamanho das de massa.
 As bolinhas de massa já deram uma crescida, agora é só rechear!
Nesse momento, ligue o seu forno na temperatura mais alta que ele tiver. Aqui eu usei o forno elétrico para assar, liguei no máximo (ele indica 300°C), e também liguei o grill. Ah, e também tirei a bandeja de proteção que fica acima da resistência. Se você só tiver forno à gás, ligue-o no máximo e retire essa bandeja que fica acima do fogareiro. (Faça isso com ele ainda frio hehe)
O segredo é esse, forno bem quente mesmo. Os lugares mais tradicionais que servem pizzas e esfirras fazem no forno à lenha, e esse é estupidamente quente. Então tentaremos chegar o mais perto disso possível.

Para rechear as esfirras, polvilhe farinha na sua bancada, pegue uma bolinha da massa e abra com um rolo (o mais fininho que conseguir). Posicione a bolinha no centro da massa aberta.
 Para facilitar o processo, eu aperto com os dedos e faço um formato de triângulo com o recheio.
 Depois é só dobrar e juntar as extremidades da massa! Vá belicando com os dedos para ficar bem fechadinho. Caso não esteja grudando bem, antes de fechar, pincele um pouco de água nas bordinhas da massa. Com essa receita você também faz esfirras abertas, é só modelar ela aberta (e polvilhar fubá por baixo, para ficar mais crocante a massa). 
 Lembre-se de deixar as bolinhas ainda tampadas para que não ressequem.
 Assim que rechear o suficiente para encher uma assadeira, coloque-a direto no forno. Outro segredo que aprendi há pouco tempo é não deixar a massa fermentar novamente antes de assar. Diferentemente dos pães, as esfirras vão direto ao forno depois de moldadas.
 Leve ao forno bem quente e fique de olho! Assa bem rapidinho, aqui levou menos de 10 minutos. É importante que assem rápido, para que a massa não fique ressecada e o recheio também. Assim elas ficam douradinhas, mas a massa ainda macia e o recheio suculento.
 Enquanto uma fornada está assando, já enrole a próxima fornada rapidamente. Aqui não deu nem tempo e a primeira fornada já saiu rsrs.
O tempo pode variar de forno para forno, outro dia fiz no forno à gás aqui e demorou mais tempo (cerca de 15 minutos).
Bom apetite!
*Caso queira congelar as esfirras, depois de assadas e já frias, acomode-as em saquinhos específicos para freezer, etiquete-os identificando a data e o nome, feche bem e leve ao freezer ou congelador por até 3 meses.

sábado, 25 de agosto de 2018

Coalhada Seca e Labneh (Coalhada em bolinhas no azeite)


Se tem um tipo de comida que gosto cada vez mais, é a comida síria/árabe/libanesa. São simples, porém os sabores complexos e instigantes. Muitos dos pratos são muito corriqueiros na nossa mesa brasileira, e outras também são invenção nossa, baseadas nessa culinária tão rica. Um dos maiores clássicos dessa culinária, pelo menos aqui no Brasil, é a coalhada seca. Com um pãozinho, uma torrada, até com uma esfirra, é uma delícia. Aqui hoje vou apresentar a clássica versão pastosa, temperada levemente com sal, pimenta e azeite, e também a versão "queijinho", o labneh, que são bolinhas feitas de coalhada, e cobertas de azeite. Aproveita e já faz um tantico a mais e dê um pouquinho de presente para um amigo(a), vizinho(a), qualquer pessoa querida. Com certeza a pessoa vai adorar o carinho.

Coalhada Seca
(o rendimento vai depender do quanto você vai deixar dessorar, mas já aviso que o rendimento não é muito grande. Dobre a receita para maiores quantidades)

Ingredientes
  • 2 litros de leite tipo A (leite gordo)
  • 2 copos de iogurte natural integral 
  • pano de sacaria ou coador de café (de pano ou TNT) - compre e use apenas para esse fim!
para temperar
  • azeite extra virgem
  • sal
  • pimenta-do-reino
Modo de Preparo
Primeiramente, faça o iogurte caseiro ou coalhada, de acordo com esse post aqui (clique para acessar o link).
Coalhada pronta, é hora de dessorar. Ao dessorar, tiramos o excesso de líquido que o iogurte/coalhada) possui, e temos então como resultado, a coalhada seca. O tempo vai depender do quão enxuta você vai querer sua coalhada. Eu por exemplo, gosto muito dela mais firminha, por isso deixo de 1 a dois dias dessorando, dentro da geladeira. Para isso, pegue um escorredor de macarrão (ou o suporte para coador de café, assim como o da foto), e forre com o pano de sacaria limpo (ou o coador de café). Coloque a coalhada dentro e apoie num recipiente para que o soro caia todo nele. Deixe dentro da geladeira o tempo suficiente até a coalhada ficar na textura que deseja.

Tem gente que deixa a coalhada dessorar fora da geladeira mesmo. Eu não gosto, pois além de ser muito calor aqui, a coalhada fica com um toque mais azedo do que eu gosto, por isso deixo refrigerado.
O soro eu guardo todo para fazer pão, fica perfeito! Uso no lugar do líquido que pedir na receita. E pode-se fazer bolo também.

Coalhada já bem enxuta, é hora de temperar. Retire-a do pano ou coador e coloque num recipiente que tenha tampa. Repare que a minha coalhada ficou bem espessa, quase um queijinho. Gosto assim. Dessa maneira, também consigo fazer o labneh, que nada mais é que a coalhada em bolinha (modo de preparo mais abaixo).
Tempere com um fio de azeite, sal e pimenta-do-reino à gosto. 

Não coloco uma quantidade específica pois é de acordo com seu paladar. Decore com mais um fio de azeite por cima, e se quiser, como eu, umas pimentas rosas, zaathar ou lemon pepper. Fica lindo! Sirva com torradinhas, quibe, esfirras, pães, etc. 
Esse pão da foto abaixo foi feito com o soro que sobrou da coalhada. É assunto para um post futuro :)


 Labneh (coalhada em bolinhas no azeite) 


Antes de qualquer coisa, olha esse vídeo!

O labneh nada mais é que a coalhada que fizemos acima, dessorada até ficar bem espessa, a ponto de conseguirmos fazer bolinhas. Deixe a coalhada dessorar por uns 3 ou 4 dias dentro da geladeira, e faça bolinhas medindo com uma colher de sobremesa. Você pode temperá-las ou não. Essas da foto temperei com zaatar, mas você pode temperar com lemon pepper, alecrim, pimenta calabresa, etc. Essa coalhada não tinha sal no momento em que dessorei, por isso no momento de comer salpico um pouco de flor de sal nas bolinhas. 
Feitas as bolinhas, coloque-as cuidadosamente em um vidro e cubra com azeite extra-virgem. Mantenha na geladeira, e assim que bater aquela vontade, retire uma bolinha e se delicie comendo com torradinhas, pães, etc. 



Bom apetite!

Compartilhe!

Você também poderá gostar de...

Related Posts with Thumbnails